Mudanças climáticas ameaçam sobrevivencia do pinguim africano, alerta estudo

As mudanças climáticas e a pesca excessiva deixaram os jovens pinguins africanos, espécie em risco de extinção, confusos sobre onde encontrar comida, e eles estão morrendo em grande quantidade em consequência disso – disseram pesquisadores nesta quinta-feira (9).
Um estudo publicado na revista científica “Current Biology” descreve uma situação difícil para os pinguins africanos, cuja população jovem deve reduzir em 50% em algumas das áreas mais afetadas da costa da Namíbia e da África do Sul, segundo projeções.
“Nossos resultados mostram que os pinguins africanos ficam presos, buscando comida nos lugares errados, devido à pesca e às mudanças climáticas”, disse o autor principal do estudo, Richard Sherley, da Universidade de Exeter e da Universidade de Cape Town.
O problema aparece quando os pinguins jovens deixam suas colônias pela primeira vez e viajam longas distâncias, procurando no oceano sinais de áreas com abundância de peixes e plânctons.
Esses sinais incluem áreas do mar com baixas temperaturas e alta clorofila, o que indica a presença de plâncton e, provavelmente, de peixes que se alimentam deste, como sardinhas e anchovas.
“Estas eram pistas confiáveis para águas ricas em presas, mas as mudanças climáticas e a pesca industrial reduziram as reservas de peixes nesse sistema”, disse Sherley. “Esses sinais agora podem levá-los a lugares onde esses peixes, a principal presa dos pinguins, são escassos”, acrescentou.

Publicidades